Casal Cooper: o centenário fruto das flores

Memoria

Sallie e Carl Cooper: o abnegado casal cuidou de 400 crianças

A cidade de Suzano, SP, tem algo a celebrar este ano. O centenário de uma ação evangélica de grande importância: o cuidado e o abrigo de crianças órfãs em pleno início do século XX.

Os missionários norte-americanos Carl e Sallie Cooper compraram cinqüenta alqueires de terra e fundaram em 1909 o orfanato Blossom Home, Lar das Flores, cujo nome foi inspirado em Números 17.8 e nas muitas flores existentes no terreno que se tornaria o orfanato. Antes de fundar orfanato, o casal Cooper já havia adotado uma criança cuja mãe tinha problemas mentais. Segundo o historiador Alderi S. Matos, “pelas mãos do abnegado casal passaram cerca de 400 crianças”.* Com muito esforço, Sallie conseguia doações de vários países, além do Brasil: Estados Unidos, Canadá, Inglaterra etc.

Em 7 de março de 1916, o Blosson Home já contava com a Escola Mista do Lar das Flores, que atendia grande parte da província de Suzano. Segundo Alderi, em 1937, Carl Cooper doou o patrimônio ao Exército de Salvação.

Até hoje a propriedade que eles generosamente doaram é usada para aliviar o sofrimento de pessoas cujas vidas foram afetadas pelos males de nossa sociedade. O Lar das Flores funciona com abrigos provisórios em regime de casas-lares com capacidade para trinta crianças, além do atendimento integral a duzentas crianças vindas de famílias de baixa renda.

O casal Cooper ainda fundou duas igrejas evangélicas, em Suzano e Jundiapeba, SP. A igreja de Suzano foi precursora da atual Igreja Presbiteriana Unida. A sra. Sallie faleceu em Suzano no dia 31 de maio de 1950 e o sr. Carl, aos 99 anos, em 1969. (L.D.)

Nota
* MATOS, Alderi S. Os Pioneiros Presbiterianos do Brasil (1859-1900). São Paulo: Cultura Cristã, 2004. p. 249.

Autor(a):Lissânder Dias é editor web na Editora Ultimato.

Eu quero!