Crianças de Belém: recebendo amor um dia de cada vez

Em poucos lugares, conquistar um sorriso de uma criança vale tanto quanto na Associação Crianças de Belém, um projeto que cuida de crianças portadoras do vírus HIV, liderado por empresários evangélicos do município paulista de Sorocaba. São 35 crianças de 0 a 7 anos que recebem atendimento médico, psicológico, educacional e, principalmente, espiritual, ou seja, o amor cristão. São criancinhas com histórias dramáticas: sem vontade de sorrir, doentes, cujos pais geralmente já se foram, vitimados pela Aids. Os pais que não morreram tampouco têm condições financeiras de criá-las e tratar delas.

A dedicação e o cuidado do pessoal da ACB aos poucos devolve às crianças a vida e a vontade de viver. A associação também desenvolve projetos com os familiares. Ao todo, são 150 pessoas que recebem cestas básicas, capacitação profissional e ouvem do amor de Deus. As mulheres grávidas, portadoras do HIV, também recebem tratamento de prevenção para que não transmitam o vírus aos seus futuros bebês.

Início
“Crianças de Belém” existe há cinco anos. O trabalho começou com um grupo de pessoas que faziam um treinamento de capelania no hospital da cidade. O nome tem origem no infanticídio ocorrido em Belém de Judá na época do nascimento de Jesus. A mais recente vitória da ACB aconteceu em setembro deste ano, quando foi inaugurada a sede própria da instituição. Com o funcionamento do novo prédio, será ampliado o atendimento para mais quinze crianças.

Amor, hoje
Para o vice-presidente da ACB, Paulo Sérgio Carvalhaes, não importa a expectativa de vida dessas crianças, hoje avaliada em apenas 13 anos: “Para nós, o mais importante não é saber quanto tempo elas vão viver, mas que podemos fazer algo para elas viverem bem hoje.” Este era o sonho da Madre Tereza de Calcutá: que, antes de morrer, todas as pessoas soubessem que eram amadas. Este também é o alvo de Jesus: que ninguém atravesse a vida, seja ela curta ou longa, sem conhecer o seu irresistível amor.

Quer mais detalhes?
Peça já uma reportagem mais abrangente. Clique aqui.

Autor: Lissânder Dias, é editor web na Editora Ultimato.

WhatsApp chat

Receba nosso boletim quinzenal gratuitamente

Prerencha seu nome e o melhor email abaixo para receber nosso boletim

Não se preocupe, não enviamos spam!

Receba nosso boletim quinzenal gratuitamente

Preencha seu nome e o melhor email abaixo para receber nosso boletim

Não se preocupe, não enviamos spam!