Abraçado por Jesus

Estava pensando de onde nasceu meu desejo e compromisso com os migrantes e refugiados venezuelanos e com os seus conterrâneos que seguem vivendo na Venezuela. Uma das ações que tenho feito é liderar uma reunião semanal de oração solidária entre brasileiros e venezuelanos que já dura mais de dois anos.

Em 2019 fui à Caracas num encontro convocado pela Visão Mundial e liderado pelos amigos Harold Segura e José Pinero. Lá estavam líderes de várias partes e igrejas da Venezuela e durante três dias oramos juntos, ouvimos as ações e desafios que os pastores e pastoras enfrentavam para liderar suas comunidades muito empobrecidas devido a situação política e econômica do país.

No domingo à noite, apesar das recomendações do pessoal de segurança e risco da Visão Mundial, nossa equipe foi a um culto na Igreja Pentecostal das Acácias do pastor Samuel Olson. Nos sentamos nos primeiros bancos da igreja para participar da celebração. Durante o louvor uma mulher sentada à nossa frente segurava nos braços uma criança com síndrome de Down. A criança ficou me olhando pelas costas da mulher que parecia ser sua mãe ou algum parente próximo. A menina fez sinal de vir para meu colo, o que foi permitido pela mulher.

A menina me abraçou forte e ficou nos meus braços durante o restante do louvor. Senti Jesus me abraçando por meio daquela criança num país totalmente desconhecido para mim.

Enquanto a menina me abraçava forte eu orava e chorava, por ela, para que Deus a guardasse em seus braços, orei e chorei pelas crianças venezuelanos representadas por aquela menina tão vulnerável.

Jesus era aquela menina pequena me abraçando.

O abraço daquela criança também foi um pedido de socorro. Foi um “passa a Macedônia e nos ajuda”. Aquele acontecimento me impactou para sempre e três anos depois estou sendo desafiado pela Visão Mundial a dedicar parte do meu tempo para o apoio a situação das crianças migrantes e refugiadas venezuelanas que se encontram espalhadas em vários países da América Latina.

O abraço apertado daquela criança com síndrome de Down me dá a certeza de que estou no caminho certo da vontade de Deus junto aos mais vulneráveis de nosso tempo.

Welinton Pereira da silva

casado com a Meire e pai da Talitha e Asafhe. É Pastor metodista e diretor de relações institucionais da Visão Mundial. Mestre em direitos humanos pela Universidade de Brasília.

Jesus costuma se colocar ao lado dos “pequeninos” que se encontram em situações de grande vulnerabilidade. O abraço recebido por Welinton numa situação tão única precisa ser estendido às crianças refugiadas ou deslocadas, espalhadas pelo mundo. Acreditamos que a nossa oração neste sentido faz a diferença. Queremos que o Senhor mude a sorte das crianças que estão longe de casa, muitas vezes separadas de seus pais, privadas de uma infância leve e segura.

De acordo com a UNHCR, a agência das Nações Unidas que se dedica a buscar soluções para as populações refugiadas, 50% da população em campos de refugiados no mundo são crianças. Em 2021 a estimativa era que havia no mundo 84 milhões de pessoas em movimento devido aos conflitos e à piora das condições de vida em seus locais de origem.

Veja abaixo alguns números e separe um tempo para orar por estas crianças:

  • Dois milhões de crianças e adolescentes refugiados fugiram da guerra na Ucrânia em busca de segurança além das fronteiras.
  • Há 2,6 milhões de refugiados afegãos registrados no mundo, dos quais 2,2 milhões estão registrados só no Irã e Paquistão. Outros 3,5 milhões estão deslocados internamente, tendo fugido de suas casas em busca de refúgio no interior do país. Quarenta (40%) desta população deslocada é formada por crianças. Muitas delas estão sem as vacinas necessárias para evitar doenças como pólio, sarampo, rubéola, catapora, etc.
  • Há 6 milhões de imigrantes venezuelanos espalhados pelo mundo. A maioria dos venezuelanos que chegam aos países vizinhos viajam em família. Muitas vezes crianças, mulheres grávidas, idosos e pessoas com deficiência se tornam vítimas de contrabandistas, traficantes e grupos clandestinos.

As crianças neste link estão “deslocadas”, longe de casa, apesar de já estarem recebendo alguma ajuda de um de nossos parceiros. Elas nos revelaram alguns de seus desejos e motivos de oração.

2 Comentários

  1. Suely

    Era manhã de EBD, e eu chorava … Uma mulher se pôs ao meu lado e me abraçou… Senti um acochego naquele abraço, Deus é incrível. E quem Ele usa para fazer parte. Nós… Se tiver algo que eu possa ajudar. Email: ferreira.ssf@yahoo.com

    Responder
    • maosdadas_2i8pwf

      Olá Suely!

      Obrigada por compartilhar sua história.
      É muito bom sermos abraçados por Jesus através de outros. E que bom que podemos abraçar uns aos outros através da oração.

      Agradecemos o oferecimento de sua ajuda.

      Que Deus a abençoe!

      Responder

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Receba nosso boletim quinzenal gratuitamente

Preencha seu nome e o melhor email abaixo para receber nosso boletim

Não se preocupe, não enviamos spam!