LOUIS BRAILLE, o menino cego que ajudou os cegos do mundo todo a ler!

LOUIS BRAILLE, o menino cego que ajudou os cegos do mundo todo a ler!

O Dia Nacional do Sistema Braille é celebrado hoje 9 de abril. A Rede Mãos Dadas parabeniza todas as organizações sociais cristãs no Brasil que se esforçam para garantir acesso melhorado às informações por meio da publicação de literatura em Braille para as pessoas com deficiência visual. A SBB (Sociedade Bíblica do Brasil ) merece a nossa gratidão. Neste dia, mais que especial, a SBB cumprimenta todas as pessoas e organizações que “com a ponta dos dedos e os olhos do coração”, têm trabalhado para que esses seis pontos transformem a cada dia, mais vidas e histórias.

Em 2002, a SBB lançou a Bíblia em Braile, projeto pioneiro no País, que amplia o acesso das pessoas com deficiência visual às Escrituras Sagradas, e continua assumindo com satisfação e enorme responsabilidade a condição de ser reconhecida como entidade de referência na produção de conteúdos em Braile, seja para levar adiante os ensinamentos e valores bíblicos, seja para promover o acesso cidadão a documentos fundamentais para que pessoas cegas e com baixa visão conheçam seus direitos.

 A seguir veja a história de um menino que transformou uma tragédia doméstica em benção para a humanidade:

Louis Braille foi um grande exemplo de como as crianças podem fazer diferença no mundo. Este homem nascido em 1809 em Coupvray na França ficou cego aos 3 anos, ao sofrer um acidente que causou uma infecção em um olho. A infecção se espalhou para ambos os olhos, e como não havia acesso a tratamento médico adequado, após alguns meses a doença destruiu ambas as córneas de Louis. A cegueira não o impediu de ser um estudante exemplar -ele decorava e recitava lições que escutava na escola – e aos 10 anos conseguiu uma bolsa de estudos na Instituição Real para Jovens Cegos, a primeira escola para cegos de Paris.
Nessa escola, o ensino era quase todo feito oralmente, e havia alguns poucos livros que usavam o sistema Valentin Hauy, o método oficial de leitura para cegos na época. Lá Louis dedicou-se profundamente aos estudos e fazia outras atividades que a escola proporcionava, como aulas de piano. Algum tempo depois se tornou o talentoso organista de Notre Dame dês Champs. As dificuldades enfrentadas por Louis Braille em seus estudos o levaram, desde cedo, a preocupasse com a possibilidade de criação de um sistema de escrita para cegos. Contou com a ajuda de outras pessoas, como Charles Barbier de la Serre, capitão de artilharia do exército de Louis XIII,criador de um sistema de sinais em relevo que, quando combinados,transmitiam suas ordens militares,permitindo que fossem lidas no escuro. Barbier já pensava nas aplicações de seu sistema para comunicação entre cegos. Louis Braille rapidamente aprendeu a usar o sistema, e adquirindo maior habilidade, acabou descobrindo seus problemas e começou apensar em possíveis modificações.Com apenas 15 anos, Braille finalizou a criação de seu sistema na qual 64 combinações representavam todas as letras do alfabeto, além de acentuação,pontuação e sinais matemáticos. O jovem continuou aperfeiçoando o método, que demorou alguns anos para ser aceito.
Apesar de os alunos gostarem do sistema, os professores mais convencionais da instituição se recusaram a abandonar os velhos métodos. Braille teve pouco tempo paraver a expansão de seu sistema por toda a Europa, pois morreu cedo,aos 43 anos, de tuberculose, em 1852.
Hoje o Código Braile é um sistema de escrita para pessoas com baixa visão aceito mundialmente. Tudo porque um menino ousou ser diferente e colocar os seus talentos à serviço de seus semelhantes


Curta e siga-nos!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *