Técnicas para apoiar o professor na sala de aula com alunos deficientes

Técnicas para apoiar o professor na sala de aula com alunos deficientes

Uma vez que o compromisso  de trabalhar com a criança é feito e preparado com antecedência (de acordo com as sugestões da postagem: Deixa as crianças virem a mim: Como preparar suas atividades para receber crianças com deficiência), há várias coisas que podem ser feitas na aula, na reunião ou na atividade da escola dominical, para garantir que a criança com deficiência faça parte do grupo.

  • Seja preciso e cuide das palavras e exemplos que você usa. Por exemplo há hinos com frases do tipo “Vamos louvar a Deus”, para crianças pequenas e especialmente para aqueles com problemas de aprendizado, causa confusão, porque parece que diz “Vamos lavar a Deus”.

  • Sempre que possível, use recursos visuais claros. A maioria das crianças com autismo, problemas de aprendizagem ou atraso, precisa de um desenho ou objeto que se relacione claramente à história, e não apenas de ouvir palavras.

  • A técnica da mão sobre mão. Se a criança tiver dificuldade em usar uma tesoura ou colorir um desenho, basta guiar a mão dela. Sempre verifique se está havendo progresso.

  • Quando a atenção da classe estiver concentrada em figuras com várias cenas que ilustram a lição, cubra a maior parte das figuras, exceto uma. Isso ajudará o aluno a se concentrar em uma coisa só.

  • Reoriente o comportamento. Crianças com problemas para concentrar sua atenção, problemas de aprendizagem ou autismo devem ser ajudadas a voltar sua atenção para a lição. Você pode sentar ao lado deles, colocar o braço nos ombros ou apontar para a figura que faz parte da lição. Dar uma ordem violenta, só piora as coisas. Quase todas as crianças com deficiência costumam ser informados de que não tem valor. A escola dominical deve ser um local que os ajude a ver que são valiosos para Deus.

  • Seja sensível aos problemas de leitura. Se uma criança é muito tímida e tem medo de ler em voz alta, não peça a ela que o faça. Em vez disso, você pode pedir que eles leiam em grupo ou repitam refrões altos assim: Deus é sempre bom, Deus sempre me ama.

 

O mais importante que um professor pode fazer é lembrar que cada uma das crianças é filha de Deus e que, quando Jesus disse: “Deixe as crianças virem a mim, pois esse é o reino dos céus”, Ele não estava apenas se referindo ao perfeito. Jesus pensou em todos: a criança que constantemente balança para frente a para trás, aquela que de repente explode com sons ininteligíveis, aquela que não pode dizer muito bem todas as palavras do versículo para memorizar, mas que, no entanto, sabe que Jesus o ama e ele ama Jesus. E ele sabe disso porque a igreja mostrou a ele que o amor de Deus é real.

 

Artigo retirado da Revista Alcanzando a los Niños en Riesgo. Ano 3. Número 9.


Curta e siga-nos!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *