fbpx

Dia 2: “Ensina-nos a conhecer os teus caminhos ”

Faz-me conhecer os teus caminhos, Senhor; ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia. Salmo 25: 4-5 (NAA)

Davi, o autor deste Salmo, espera no Senhor. Isso não significa perda de tempo ou improdutividade. Ele tem uma expectativa nesta espera: aprender e ser ensinado pelo próprio Senhor. Ele não segue seu próprio caminho, como se cada um tivesse um caminho oculto e um destino todo seu. Em vez disso, Davi espera para aprender os caminhos do Senhor, o jeito de Deus agir no mundo.

Neste tempo de espera, neste tempo de incerteza, queremos saber, compreender, partir e chegar num outro tempo. Falamos sobre pós-pandemia, falamos sobre como será a vida no futuro. Davi certamente deseja superar a humilhação que seus inimigos tentam amontoar sobre ele.

No entanto, ele está esperando no Senhor, ele quer que o Senhor “me faça conhecer seus caminhos … me ensine seus caminhos”. Hoje somos constantemente ensinados a conhecer nosso próprio caminho, como se fôssemos a fonte última de conhecimento e sabedoria. Como se fôssemos totalmente independentes, autossuficientes. Se fosse assim, não precisaríamos receber nada de fora de nós mesmos. Nossa sabedoria seria capaz de superar todas as ameaças, ataques e influências externas. Mas não é assim. Somos vulneráveis a todo tipo de influência e portanto precisamos da interferência e sabedoria divina.

Davi, que quando menino matou ursos e leões com sua funda, destacou-se depois como um general de valor, tornando-se depois um rei que governou por décadas. Nos moldes de hoje, ele seria considerado um homem bem sucedido. No entanto, no Salmo 25 ele não julga ter dentro de si a sabedoria. Ele aponta para fora de si, não para suas realizações. Ele volta seu olhar para o Senhor.

Ele tem a expectativa de conhecer o caminho do SENHOR, para ser instruído sobre a direção a seguir. Essa espera no Senhor é um tema constante nos Salmos.

Jesus, como vemos nos Evangelhos, consistentemente esperou a direção de Deus, sendo guiado pelo Espírito Santo. Jesus não assumiu a missão de trazer ao mundo o Reino de Deus como um grande show pessoal. Jesus esperou que o Espírito Santo o conduzisse ao deserto para ser tentado (Lucas 4: 1). Depois de seguir o Espírito Santo ao deserto, Jesus retornou ao convívio social no poder do Espírito Santo.  As instruções sobre o próximo passo a tomar não vieram do seu interior, mas de uma relação de espera por orientações de Deus no Espírito Santo.

Que caminhos as crianças e adolescentes do seu convívio estão sentindo a tentação de seguir? A tentação inclui uma atenção exagerada para os seus próprios sentimentos como forma de conhecer a verdade?

Faça a seguinte oração pela criança ou adolescente por quem você intercede:

Senhor, ajuda o(a) ____________ a reconhecer os teus caminhos; ensina os detalhes, os passos importantes, as “placas de sinalização” claras para que ele(a) identifique o melhor caminho a seguir.
Ó Senhor, conquiste a atenção do(a) _______ pelo poder do teu Santo Espírito, para que ele(a) não caia na tentação de buscar dentro de si mesmo(a) as orientações para a vida.
Ajuda-o(a) a perceber que foi o Senhor quem o(a) gerou e que o Senhor o(a) conhece intimamente.
Que o(a) ____________ venha a ver o Senhor como um Deus que salva, um Deus que guia, um Deus que tem prazer em ensinar a verdade. 

 

  • Por James Gilbert